S

CAAF amplia serviços e novos mercados

04/01/2021 Notícia

Em ano de pandemia, Cooperativa de Agricultores se reinventa e conquista novo filão de vendas.


A Cooperativa de Agricultores e Agroindústrias Familiares de Caxias do Sul (CAAF) comemora 10 anos em 2020 conquistando novos mercados, ampliando serviços e com faturamento anual estimado de R$ 6,5 milhões. Localizada no bairro São Luiz da 6ª Légua, em breve, estará em um novo espaço, no Loteamento Treviso, próximo a duas importantes vias de escoamento da produção da Serra, a BR-116 e a Rota do Sol.

Mesmo em um ano atípico por conta da Covid-19, a CAAF cresceu entre 5% e 10% em relação a 2019 no faturamento. Para chegar a isso, agregou novos mercados. Com boa parte da produção dos 286 produtores associados sendo destinada à alimentação escolar, o fechamento das escolas públicas forçou a busca por novos caminhos para não deixar a receita cair e manter as atividades dos agricultores em alta. 

O gerente administrativo da cooperativa, Marcos Regelin, diz que foi preciso agir rápido e pensar em projetos para que os agricultores não fossem prejudicados e o negócio se mantivesse funcionando. “Vencemos dois pregões de órgãos públicos para fornecer alimentos a hospitais da Região Metropolitana de Porto Alegre, que renderam cerca de R$ 2 milhões”. Esse mercado passou a ser atendido com alimentos higienizados e minimamente processados. Nesse processo, hortaliças e legumes são lavados, descascados, cortados e embalados a vácuo, prontos para serem consumidos.

 “É um projeto que está dando certo e foi uma das razões que nos motivou a providenciar a mudança de endereço, para um local maior e atender a demanda. Entre os maiores clientes nessa linha, estão os hospitais”, explica Regelin.

Outra ação desenvolvida pela cooperativa neste ano foi a entrega de cestas a domicílio durante a pandemia. Uma iniciativa que deu certo, pois ajudou a dar um novo destino aos produtos dos cooperados e facilitou a vida de famílias caxienses durante a pandemia. A cooperativa também buscou novos clientes fora do Estado e passou a entregar maçãs para a alimentação escolar em São Paulo e Paraná.

Produtor de Vila Cristina, Rafael Potter é um dos associados da CAAF e, desde a fundação, entrega boa parte de sua produção na Cooperativa. Ele credita ao trabalho sério desenvolvido pela organização o segredo do sucesso.

É uma cooperativa que conquistou credibilidade. Mesmo em um ano de muitas dificuldades, ampliamos mercados, buscamos soluções e todos os agricultores foram pagos no prazo certo pela entrega das mercadorias”, enfatiza Potter.

O novo prédio que irá abrigar a CAAF, com espaço de 1,2 mil m², é alugado e terá uma área específica para atender a elaboração de alimentos processados. Hoje, é feita em duas agroindústrias particulares, pertencentes a cooperados. A previsão é que, em fevereiro de 2021, a CAAF já esteja operando nas novas instalações.

Sobre a cooperativa

A CAAF surgiu em 2009 quando a Lei Federal 11.947 instituiu a obrigatoriedade de que pelo menos 30% da alimentação das escolas públicas fosse fornecida pela agricultura familiar. Cerca de 30 agricultores locais se mobilizaram e deram início às atividades de uma associação. Em 2010, a entidade já passou a operar como cooperativa.

“Debruçamos sobre o assunto e começamos a trabalhar,” lembra o atual presidente da CAAF, Leonar Seefeld.

De lá pra cá, a visão empreendedora dos fundadores fez o negócio expandir. Uma década depois, a organização cooperativa já conta com a participação de mais de 280 produtores da agricultura familiar da região, que entregam cerca de 100 toneladas de hortifrutigranjeiros por mês, alimentos que são repassados para instituições de saúde e educação e para as Forças Armadas. Pelo menos 90% da produção é de agricultores caxienses. Mas a Cooperativa agrega agricultores de outros municípios da Serra, dos Campos de Cima da Serra e do Litoral. 

“Fomos conquistando novas etapas e fornecendo vantagens. Hoje, por exemplo, já temos implantado o sistema de rastreabilidade na produção dos nossos associados, o que garante que cada etapa seja controlada diminuindo a chance de falhas e garantindo maior segurança alimentar,” destaca Seefeld.

Atualmente, a CAAF emprega 20 funcionários, número que deve ser ampliado quando a organização começar a operar nas novas instalações. Além dos produtores de hortifrutigranjeiros, a cooperativa também conta com 18 agroindústrias associadas. Todas legalizadas.

“A competência dos nossos agricultores, aliada à localização geográfica de suas propriedades, considerando as condições climáticas das estações do ano, permite ofertar produtos continuamente nos 12 meses do ano".

A meta da CAAF para os próximos 5, 10 anos é tornar-se referência na área dos higienizados e processados.

“Isso vai nos permitir expandir e abastecer, também, as gôndolas de supermercados”, projeta o presidente da CAAF.

Compartilhar: